MORTE NATURAL E MORTE ANTINATURAL

O que vem a ser a morte? Obviamente, é a extinção da vida. Isso significa que o corpo material não consegue mais viver. É como uma árvore que seca e morre.

A morte tem várias causas, mas podemos dividi-la em dois grupos: morte natural e antinatural. A primeira é causada pelo esgotamento natural da vida; a segunda, por doença, assassinato, acidente ou suicídio. O certo é que ocorra morte natural, podendo-se dizer que a morte antinatural constitui uma anomalia.

Um fato realmente incompreensível é que, apesar do avanço da cultura, venha diminuindo cada vez mais a morte natural e aumentando a incidência de morte antinatural, principalmente a motivada por doença. E por que razão, embora se registre um grande progresso em todos os campos culturais, só na questão referente à vida humana ocorre exatamente o inverso? Deve existir aí uma enorme falha... Entretanto, ao invés de levantar dúvidas, o homem, que mostra um interesse ilimitado por outros assuntos, permanece totalmente apático, conformado, acreditando, talvez, que na questão da morte não existem alternativas. Tal atitude se explica pelo fato de, até agora, como todos sabem, nenhuma religião ou ciência ter conseguido resolver o problema. Portanto, é de se imaginar que o homem pensa em deixá-lo à mercê da natureza, como única solução.

Mas, pensemos: Deus Todo-Poderoso criou o homem como animal do mais elevado nível, e não há nada mais conflitante com a Vontade Divina que o reduzido número de mortes naturais em relação às mortes antinaturais, número esse que está diminuindo progressivamente. Ora, se Deus é Todo-Poderoso, cedo ou tarde Ele deverá trazer o homem de volta à sua hierarquia espiritual de origem. Evidentemente. Deus não fechará os olhos, por muito tempo, à anomalia ocorrida com a vida humana. Refletindo sobre tudo isso, não será motivo de espanto que Izunome-no-Okami, isto é, Kanzeon Bossatsu, o deus que recebeu do supremo Deus a incumbência de salvar o homem, esteja prolongando a vida humana, isto é, erradicando a morte antinatural.

Pelas razões expostas, o homem deve conscientizar-se de que está próxima a chegada do Mundo da Divina Luz, ou seja, o mundo isento de doenças pelo qual a humanidade vem ansiando há milênios.

19 de junho de 1936