Buscar
  • Moisés R. Fernandes

A Matemática do Milagre


O número dez é formado pelo número 1, que significa a unidade, o início, a iniciativa, com o 0 (zero) à direita, simbolizando o poder divino – o zero também é um círculo, símbolo de perfeição – portanto tornando-o número associado à Roda da Fortuna: se você estiver em harmonia com o poder divino, tudo será possível sob esse número.

É o da Tétraktys pitagórica: 1 + 2 + 3 + 4 = 10.

Por que existe a referência de pessoa nota 10, aluno nota 10, craques que usam a camisa 10?

Aluno nota 10 é evidente: é um aluno que alcança o rendimento máximo na escola, diante do que é exigido dele.

Quem marcou a camisa 10 no futebol foi o jogador Pelé, tornando então a camisa 10 símbolo de supremacia do atleta. Mas claro que só usar a camisa 10 não adianta, sem a verdadeira capacidade extraordinária de quem a veste.

O número 10 na Bíblia

Mesmo não sendo ímpar, o número 10 (dez) entrou na lista dos números perfeitos. Ele expressa o completo, a inteireza, o todo. É considerado o número da perfeição humana.

Com o 10 (a soma de dois números perfeitos: 3 + 7 = 10), expressamos a admiração e reconhecimento que temos por alguém: Ele é 10! Na maioria das escolas a avaliação é por conceito numérico. Quem obtém nota 10, consegue o máximo.

Para a numerologia, ele simboliza a eternidade e a divindade, o retorno à unidade. São 10 os dedos da mão e do pé. Há gente que costuma contar nas mãos o que, aliás, era a maneira primitiva de contar.

No Antigo Testamento

Por 10 vezes, em Gn 1, fala-se da ordem que Deus dá para que os seres venham à vida. Afirma-se que “Deus disse”: sete vezes, referindo-se à criação em geral (cf. Gn 1, 3.6.9.11.14.20.24); três vezes, dirigindo-se às pessoas humanas em especial (Gn 1, 26.28.29). Logo, 7 + 3 = 10: totalidade da criação.

São 10 os mandamentos da Lei de Deus, as Dez palavras (cf. Ex 20, 1-17; 34, 28b; Dt 5, 6-22). Diante dos bens da terra, de que falaram as 10 palavras do Gênesis, é preciso assumir uma postura fiel, perfeita. O Decálogo é orientação segura do fiel para com Deus Criador, consigo mesmo, com a realidade criada. Abrange a totalidade das humanas relações.

Há circunstâncias em que as pessoas não aceitam a vontade do Criador e a ordem da natureza. Caso emblemático desse desvio, a Escritura exemplifica na opressão que os egípcios impuseram a Israel. Por isso, o próprio Deus da vida intervém e sana o mal causado (cf. Ex 7, 8-12, 34).

A inteireza do mal da opressão é superada por uma intervenção total de Deus, mediante 10 pragas. Mas também o próprio povo de Israel, no caminho do deserto, mostrou-se “dezmente” falho em relação ao seu Deus e benfeitor. Rebelou-se 10 vezes contra ele: “Todos estes homens que viram a minha glória e os sinais que eu fiz… já me puseram à prova dez vezes” (Nm 14, 22).

O Novo Testamento

O Novo Testamento é pródigo em referências ao número 10. Mateus 8-9 apresenta 10 milagres de Jesus, isto é, 10 intervenções estabelecedoras da vida. Equivale à obra perfeita, que João retrata mediante os sete sinais. Jesus liberta de tudo quanto desintegra, aliena e oprime as pessoas. Nesses 10 milagres, segundo Mateus, e nos sete sinais, conforme o João, Jesus mostra o Reino de Deus presente e atuante.

Mateus 25, 1-13 narra a parábola das dez virgens que representam a totalidade dos cristãos que vão ao encontro de Jesus, o Esposo. A dívida de 10 mil talentos (Mt 18, 24) é impagável. É dívida total! Mas Deus sabe perdoá-la. Em Lc 17, 11-19 conta-se a cura de 10 leprosos, entre os quais só um agradeceu Jesus. Dez servos recebem, cada qual, 10 talentos do senhor que parte para longe, diz a parábola de Lc 19, 11-27. O que foi totalmente fiel recebeu a recompensa de 10 cidades.

No contexto das parábolas da misericórdia (Lc 15), tanto a mulher em casa quanto o homem no campo perdem, respectivamente, uma de 10 moedas e uma de 100 (10 x 10 = 100) ovelhas. Não descansam enquanto não voltam a completar a inteireza do dinheiro e das ovelhas. Além disso, convidam todos a fazer festa total. Na sequência, o pai fará festa para todos os seus filhos, representados naqueles dois: um que, como a ovelha, se perdera longe de casa; o outro que, como a moeda, estava perdido em casa.

Deus deu a Moisés as 10 Palavras que na verdade denunciavam estas 10 malignidades que lutam contra o homem afim de derrubá-lo , afastando-os de Deus:

"Moisés ficou junto do Senhor quarenta dias e quarenta noites, sem comer pão nem beber água. E o Senhor escreveu nas tábuas o texto da aliança, as dez palavras". (Ex 34,28)

Os 10 meios de queda mais comuns do Ser humano, que Deus denunciou por Moisés determinando vigilância e repúdio total a eles, pois eles são letais:

  1. Levantar outros deuses no coração (levantar pessoas, bens materiais, $ ou qualquer coisa acima de Deus, colocando-os em primeiro lugar);

  2. Venerar ou cultuar imagens (figura que está nos céus, na terra, nas águas ou debaixo da terra).

  3. Usar o Nome de Deus indevidamente ou hipócritamente, (blasfêmias ou profanação)

  4. Não santificar não consagrar-se ao Sabath que é o descanso, que tipifica Cristo o verdadeiro descanso ao cansado e sobrecarregado (Mt.11:28). (incredulidade e insubmissão)

  5. Desonrar pai e mãe, pois encurta os dias na terra. (Desobediências e rebelião)

  6. Matar; (òdio e violência)

  7. Cometer adultério; (prostituição e imoralidade)

  8. Furtar; (roubo e corrupção)

  9. Difamar ou acusar falsamente o próximo; (os amigos de Jó ficaram totalmente retidos por isso) (mentira e calúnias)

  10. Cobiçar os bens, a família ou conquistas do próximo. (inveja e ingratidão)

Percebamos que estes 10 erros ou pecados conduzem o homem a queda e consequentemente ao afastamento de Deus e podem simbolizar as 10 entidades que lutam para afastar o homem, desviá-lo e mantê-lo longe da Verdade.

Logo podemos perceber que 10 é um número Divino, daí vem a origem do Dízimo. Mas o que é o Dízimo?

O Dízimo nada mais é do que darmos 10% de nós mesmos à Deus, segue uma matemática simples:

Se um mês tem 30 dias, deveríamos nos dedicar pelo menos 3 dias à Deus, ou seja, 72 horas.

Mas de que forma?

Ajudando o próximo, seja através de alguma religião, seja através de algum trabalho voluntário ou mesmo através de uma oferta monetária para instituições que auxiliem o próximo. Sei que esse assunto é polêmico, mas podemos pensar que nessa vida Tudo pertence a Deus, e que não levamos nada daqui quando partirmos, tudo é apenas um “Empréstimo Divino”, pelo o qual o devolvemos ao partir. O que Deus nos pede é que ajudemos em sua Obra com apenas 10% de nossa capacidade. Daí é que surge o Milagre.

As pessoas que vivem de uma forma egoísta apenas para si, com o tempo acabam tendo mais problemas em suas vidas do que paz e prosperidade. Pois ficamos em débito para com Deus.

Vamos fazer a seguinte conta:

Se ganho 1000,00 dinheiros e doo 100,00 às instituições que promovem o bem da Humanidade então estamos quites para com Deus, porém mesmo assim, acaba não progredindo em minha vida se não ajudar o próximo. Pois tudo que faço pra Deus multiplica-se por 10.

Tenho sempre uma dívida mensal (ou compromisso Divino) de 72 horas para com Deus. Se me dedicar ajudando o próximo por 48 horas durante o mês, tenho ainda um débito de 24 horas, que pode ser compensada através de alguma oferta monetária para uma Instituição de caridade, ou qualquer Instituição que vise o bem da humanidade. Pode ser uma religião, uma ONG, um Lar de Crianças ou Idosos, ou qualquer outra que sinta afinidade.

Nesse caso vamos pensar que 72 horas equivalem a 10% do meu salário, logo se ajudei o próximo por apenas 48 horas ainda tenho um débito de 24 horas, o que equivale a 3,33% do meu ganho mensal.

O Milagre ocorre quando conseguimos passar desse limite, seja através de ajuda ao próximo ou de uma forma monetária, pois passamos a ter créditos Divinos, que consequentemente influenciaram em nossas vidas. Gerando prosperidade em nossas vidas. E Paz em nossos corações.


137 visualizações

Ligue: (11) 9.7617-6904

 

 

@2015 by Moisés Fernandes.